Itabirito

HISTÓRIA DE ITABIRITO
No final do século XVII, as descobertas do ouro nas imediações de Sabará e Ouro Preto provocaram um grande deslocamento de pessoas para a região central de Minas Gerais. Colonos e imigrantes de vários lugares começaram a povoar as terras que, em pouco tempo, transformaram-se em arraiais, freguesias e vilas.

Segundo o historiador Augusto de Lima Júnior, a chegada do Capitão-Mor Luiz de Figueiredo Monterroio e de Francisco Homem Del Rey à região do Pico de Itaubyra (atual Pico de Itabirito), em 1709, deu início aos primeiros núcleos fixos de habitantes e à intensificação da extração do ouro na atual sede de Itabirito. Inspirados pela imagem de Nossa Senhora presente no retábulo retirado da Nau do Capitão-Mor, os habitantes começaram a denominar a localidade como Arraial de Nossa Senhora da Boa Viagem da Itaubyra do Rio de Janeiro.

Na parte alta dessa localidade, foi construída a Ermida de Nossa Senhora da Boa Viagem que, posteriormente, tornou-se uma Capela Curada, título oficial dado pela Igreja Católica a uma vila com determinada importância econômica e populacional. Em 1745, devido ao crescimento de sua população, o arraial foi elevado à categoria de Freguesia, passando a ser denominado como Itabira do Campo e a capela foi transformada em matriz.

A economia de Itabira do Campo, apesar da crise econômica provocada pela diminuição do ouro em Minas Gerais a partir de 1780, continuou sendo alimentada pelos trabalhos de extrações auríferas e pelas atividades agrícolas e pecuárias. O cenário começa a mudar na década de 1880, quando as instalações dos trilhos da Estrada de Ferro Dom Pedro II, a abertura de empresas nos ramos da siderurgia, tecidos e couro e o crescimento da população passaram a interferir no dia a dia da freguesia. A paisagem colonial começou a ser substituída pela paisagem industrial. Esse desenvolvimento tornou-se a base de sustentação para os desejos de emancipação municipal e, em 7 de setembro de 1923, nascia a cidade de Itabirito que, em tupi-guarani, significa “pedra que risca vermelho”. 

Dados

  • Área: 543 km²
  • População: 45.484 habitantes (Censo 2010)
  • Densidade: 76,5 habitantes/km²
  • Altitude: 823 m
  • Clima: Tropical de altitude
  • Temperatura: Média Anual: 17 ºC | Máxima: 22 ºC | Mínima: 13 ºC
  • Data de Fundação: 1709, Lei nº 1894 / 1995
  • Data de emancipação: 7 de setembro de 1923
  • Padroeira: Nossa Senhora da Boa Viagem, comemoração em 15 de agosto

Feriados religiosos, Lei 616, de 23 de janeiro de 1967:

  • Sexta-feira da Paixão
  • Corpus Christi
  • 15 de agosto: Dia da Padroeira, Nossa Senhora da Boa Viagem
  • 8 de dezembro: Imaculada Conceição de Nossa Senhora

Pastel de Angu, Patrimônio de Itabirito
Considerada a joia gastronômica de Itabirito, o Pastel de Angu surgiu na Fazenda dos Portões, no Século XIX, quando a cidade ainda tinha o nome de Itabira do Campo. Conta a lenda, que a iguaria foi criada pelas escravas Philó e Maria Conga, que aproveitavam a sobra de angu, principal refeição dos escravos, e para complementar a comida usavam como recheio um guisado feito com umbigo de banana e restos de carne. Posteriormente, fritavam o quitute na banha de porco. Com o passar do tempo, o prato se tornou paixão dos itabiritenses e de turistas que visitam a cidade só para experimentar a delícia, que foi se aprimorando com recheios mais sofisticados de carne, queijo, presunto, frango com catupiry, bacalhau e carne seca com catupiry.

Fonte: [Prefeitura Municipal de Itabirito, disponível em: http://www.itabirito.mg.gov.br/nossaCidade-historia acessado em 12/04/2012]

Para conhecer mais sobre a história de Itabirito, separamos este link que contam a história do Município e sua evolução. Clique aqui para conhecer a Coleção Digital de Itabirito que reúne um banco de dados do município a fim de incentivar a história e multiplicar essa iniciativa.

 


ADESITA
Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Itabirito

Rua Dr. Guilherme, 44 | Centro, Itabirito/MG
(31) 3563.1958
contato@adesita.org.br